Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

STRESS E SUPORTE SOCIAL EM FAMILIARES DE PESSOAS COM PARALISIA CEREBRAL

Posted on 16:58 by oncare

STRESS E SUPORTE SOCIAL EM FAMILIARES DE PESSOAS COM PARALISIA CEREBRAL
Telma Almeida* & F.M. Sampaio
Universidade Fernando Pessoa, Porto



RESUMO:


O presente trabalho pretende estudar as percepções de stress e do suporte social em familiares cuidadores de indivíduos com paralisia cerebral. Utilizou-se uma amostra não probabilística constituída por 25 familiares cuidadores (mães, pais e outros), adultos de ambos os géneros (16 mulheres e 8 homens), com idades entre os 19 e os 81 anos. Os indivíduos com paralisia cerebral constituem um grupo de 25 sujeitos com idades entre os 16 e os 49 anos, (8 mulheres e 17 homens), que vivem em casa com familiares e frequentam um centro de dia especializado, a APPC da cidade do Porto. Os participantes responderam à Escala de Satisfação com o Suporte Social – ESSS (Pais-Ribeiro, 1999) e à escala aferida à população portuguesa (Silva, Pais-Ribeiro, Cardoso, & Ramos, 2003) da da Life Experiences Survey – LES (Sarason, Johnson, & Siegel, 1978). Os resultados evidenciam a existência de uma correlação negativa moderada (r=-0,58; p=0,002) entre o suporte social e o stress dos familiares de pessoas com paralisia cerebral. Observou-se que o suporte social percepcionado pelos familiares cuidadores varia em função da sua idade (sub-escala “Intimidade”, p=0,04), em função da idade da pessoas com paralisia cerebral (sub-escala “Intimidade”, =0,01) e em função do nível de autonomia da pessoa com paralisia cerebral (sub-escala “Actividades Sociais”, p=0,04). Estes dados vêm reforçar a importância do apoio social na diminuição dos níveis de stress das famílias de pessoas com paralisia cerebral.



Palavras chave: ESSS, Familiares, LES, Paralisia cerebral, Stress, Suporte social.



STRESS AND SOCIAL SUPPORT IN CAREGIVERS OF INDIVIDUALS WITH CEREBRAL PALSY



ABSTRACT:


This work analyses families of individuals affected with cerebral palsy and their perceptions of stress and social support. Twenty-five relatives (mothers, parents, and other, 16 females, 8 males), aged 19 through 81, participated in this study. The individuals with cerebral palsy (16 female, 8 male), have ages between 16 and 49 years, live at home with one or more caregivers (mostly parents) and attend a specialized day center in the city of Oporto, Portugal. Caregivers answered a Social Support Satisfaction Scale (Escala de Satisfação com o Suporte Social, Pais-Ribeiro, 1999) and a portuguese version (Silva, Pais-Ribeiro, Cardoso, & Ramos, 2003) of the Life Experiences Survey (Sarason, Johnson, & Siegel, 1978). Results show an inverse moderate correlation (r=-0,58 p=0.002) between perceived social support and stress, as well as significant differences (p=0,04) in level of social support according to
caregivers’ age, patients’ age (p=0,01), and patients’ level of autonomy (p=0,04).
These results reinforce the importance of social support in reducing the stress of families of handicapped individuals.



Key words: Cerebral palsy, ESSS, Familiar, LES, Social support, Stress.




No Response to "STRESS E SUPORTE SOCIAL EM FAMILIARES DE PESSOAS COM PARALISIA CEREBRAL"